O que é LED? A história do Diodo Emissor de Luz

Tempo de leitura: 7 minutos

O QUE É LED? – A HISTÓRIA DO DIODO EMISSOR DE LUZ

Desde sua criação em 1963, pelo Engenheiro norte-americano Nick Holonyac, o LED é considerado um elemento importantíssimo para facilitar a nossa vida, pelos mais diversos motivos o diodo emissor da luzLight Emitting Diode, nomenclatura original e simplificada pela sigla LED, é adequado para emitir luz:

      * Nos locais de difícil acesso;

      * Instrumentos musicais;

      * Na microeletrônica;

      * Em semáforos;

      * Painéis;

      * Cortinas;

      * Iluminação pública.

E mais uma infinita lista de possibilidades.

No início o LED foi apresentado somente na cor vermelha, e praticamente era utilizado para demonstrar se um equipamento estava ligado ou desligado. Em seguida o LED amarelo, e em 1975 fomos presenteados com o LED de cor verde, bem mais potente e prático.

Mas a evolução fez com que a partir dos anos 80, com os benefícios da tecnologia Al In GaP, os novos LEDS surgissem com potente intensidade luminosa, inclusive substituindo as lâmpadas.

A potência do LED é medida por milicandelas, para você ter uma ideia quando o LED surgiu sua capacidade eram apenas algumas dezenas de milicandelas, e até o início dos anos 90, o máximo de milicandelas era de 8000, mas com a tecnologia InGaN, os LEDs tornaram-se multicoloridos, sendo oferecidos no mercado nas cores verde, ciano e azul e com potência de Luxeon.

A tecnologia Luxeon é o divisor de águas, o marco revolucionário da tecnologia LED, proporcionando o volume considerável de substituição de lâmpadas nas mais variadas formas de iluminação.

Você sabia que a luz emitida pelos LEDs é fria?

Isso mesmo, por não haver presença de infravermelho no feixe luminoso, a luz não é quente, porém, existe a liberação de potência dissipada em forma de calor, fator que sempre deverá ser levado em conta quando utilizar LEDs em algum projeto de iluminação.

 

O que é LED?

LED – diodo emissor de luz é um componente eletrônico semicondutor, que utiliza a mesma tecnologia nos chips de computador, responsável na transformação de energia elétrica em luz.

O processo é bem diferente das lâmpadas convencionais, que incluem no seu processo:

   * Eliminação de gases;

   * Raios ultravioletas;

   * Consumo de filamentos metálicos;

E outros componentes agressivos ao meio ambiente, enquanto que no LED a transformação ocorre em estado sólido (Solid State), ou seja, a energia elétrica, através da matéria, dá origem à luz.

O LED tem dois terminais, é um componente bipolar, e se chamam anodo e catado. Conforme ocorre a polarização, permite ou não o transito da corrente elétrica e na sequência a incidência ou não de luz.

Como falamos anteriormente o elemento mais importante de um LED é o chip semicondutor, seu tamanho é bem reduzido, mas imprescindível para que tudo funcione.

Quem inventou o LED?

Sua invenção é atribuída ao Engenheiro Nick Holonyak, mas não foi um trabalho solo, antes mesmo Henry Round (1881-1966) cientista britânico, apresentou uma descrição científica sobre a emissão de luz de alguns tipos de semicondutores ao interagirem com a corrente elétrica.

Paralelamente o talentoso cientista Oleg Vladimirovich (1903-1942) publicou a primeira pesquisa sobre LEDs em 1927.

Engenheiro da General Eletric, na ocasião, Nick Holonyak, em 1962 apresentou se LED em espetro visível, e um depois já declarava que os LEDs iriam substituir as lâmpadas incandescentes, o grande legado a humanidade deixado por Thomas Edison.

Os LEDs de alto brilho, com luz branca, os ultravioletas, laser azul progenitor da tecnologia blu-ray, são méritos de outro grande engenheiro e cientista Shuji Nakamura (1954).

Em Outubro de 2014, os cientistas Isamu Akasaki, Hiroshi Amano e Shuji Nakamura, foram honrados com o Prêmio Nobel de Física, pela invenção do diodo emissor de LED, pelo grande destaque de sua aplicabilidade com benefícios à sociedade.

 

Quais os benefícios da iluminação com LED?

A tecnologia LED, trouxe consigo muitos benefícios para a vida dos usuários, entre eles podemos destacar:

   * Vida útil

É bem superior a lâmpada comum, podendo chegar a 50.000 horas de uso.

   * Manutenção reduzida

Vida útil longa automaticamente menos custos.

   * Grande eficiência

Em relação às outras lâmpadas, a LED se aproxima da eficiência da fluorescente e já ultrapassou o desempenho das alógenas e incandescentes.

Mas, com certeza as perspectivas futuras são as de altíssimo desempenho para a iluminação LED.

   * Manuseio com mais segurança

Sua tecnologia de baixa voltagem de operação diminui o perigo para o instalador.

   * Suporta maiores impactos

Este é outro fator determinante em seu benefício, por ser produzida com tecnologia sólida, ou seja, sem vidros, filamentos, é mais resistente.

   * É acionada instantaneamente

Mesmo em baixas temperaturas.

   * Coloridas e sem filtros

A onda monocromática que emite a luz na cor certa influencia para que as cores sejam vibrantes. Nos LEDs coloridos não precisam de filtros, o que diminuiria a intensidade e diminuição da cor, principalmente em ambientes externos.

   * Ecológicas

Por não utilizar mercúrio e outros elementos químicos não causa danos ao meio ambiente.

   * Ausência de ultravioleta e infravermelho

A iluminação LED é isenta de radiação ultravioleta, item importante quando precisamos iluminar sem está incidência. Da mesma forma sem infravermelho o feixe de iluminação é frio, o que traz segurança ao usuário.

Essas são apenas alguns dos benefícios da iluminação LED, e a cada dia, novos conceitos e tecnologias surgem incentivando ainda mais sua utilização.

 

Quais as desvantagens da iluminação com LED?

Basicamente as desvantagens da iluminação com LEDs consistem em:

   * Custo mais elevado

Em comparação com outras fontes de iluminação o custo ainda é alto, porque também ainda é considerada uma tecnologia nova.

   * Mão de obra qualificada

Para usufruir ao máximo os benefícios da iluminação LED, a instalação exige qualificação e especialização da mão de obra, com oferta um pouco restrita ainda no mercado, tem um custo elevado.

   * Sobretensão

As oscilações da rede elétrica é um influente direto no desempenho da lâmpada LED, por isso, investir em aparelhos de segurança é adequado a fim de permitir longevidade para suas lâmpadas.

 

Pois bem agora sabemos que a iluminação LED é bem vida e agrega qualidade, estilo e ótima performance no quesito iluminação.

As expectativas de ampliação de sua aplicabilidade bem como redução no valor, são os próximos passos e desafios para a indústria da iluminação LED. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *